nº 407 - Missão de Vingança



Autor: A. Bertram Chandler
Título original: The Road to the Rim
1ª Edição: 1967
Publicado na Colecção Argonauta em 1991
Capa: A. Pedro
Tradução: Eurico da Fonseca

Súmula - Foi apresentada no livro nº406 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":

"Que estou a fazer aqui?", perguntou a si próprio o guarda-marinha John Grimes. Custava-lhe a crer que ele, um membro do Serviço de Exploração Espacial da Federação, estivesse, sem autorização, a bordo de uma nave roubada, equipada com armas poderosas, pirateadas do seu próprio serviço, a perseguir numa ilegal missão de vingança os aliados da sua própria Federação. Além disso estava a confraternizar - ou a tentar confraternizar - com um recrutador da secessionista Armada do Mundo da Orla.
Grimes nem sequer podia dizer que fora forçado a fazer aquilo, porque, ainda que tivesse acabado de sair da Academia, infringira por sua própria vontade todas as regras e regulamentos que lhe haviam metido na cabeça.
"Que bela maneira de começar uma carreira de oficial!" - pensava ele. Se vivesse o suficiente para ter uma..."
Missão de Vingança é a versão portuguesa de The Road to the Rim, uma das obras mais curiosas de A. Bertram Chandler. 

Introdução:

A. Bertram Chandler foi um criador de clássicos, um dos mais activos colaboradores de revistas como a célebre Astounding. Homem do mar e do Espaço, capitão da Marinha mercante e membro da British Interplanetary Society, comandava um cargueiro nos mares da Tasmânia quando escreveu The Road to the Rim, a obra que na versão portuguesa recebeu o título de Missão de Vingança. Dizia dele próprio que era um ávido leitor de ficção-científica e que gostava francamente de a escrever, embora reconhecesse que a maior parte das suas histórias tinham a ver com as do mar. 
Foi durante a Segunda Guerra Mundial que começou a escrever, animado por John W. Campbell, o editor da Astounding, que conhecera durante a sua primeira viagem a Nova Iorque. Depois da guerra, e contra o que seria de esperar, a sua colaboração, naquela revista e noutras, escasseou porque foi nomeado imediato de um dos maiores navios da companhia britânica a cujos quadros pertencia e as suas novas obrigações deixavam-lhe pouco tempo livre. Mais tarde emigrou para a Austrália e tornou-se de novo num escritor prolífico de histórias curtas. Até que se lançou em voos mais largos.
The Road to the Rim foi uma das suas primeiras obras de fôlego, um verdadeiro clássico pela feliz projecção que nela se faz das tradições marinheiras nas futuras rotas espaciais. 

Sem comentários:

Enviar um comentário