nº 72 - Missão em Sidar


Autor: Stefan Wul
Título original: Rayons pour Sidar
1ª Edição: 1957
Publicado na Colecção Argonauta em 1963
Capa: Lima de Freitas
Tradução: Eng. Gomes dos Santos

Súmula - foi apresentada no livro nº71 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta: 

Stefan Wul, autor francês que a Colecção Argonauta tem divulgado em Portugal com pleno êxito, dá-nos com este romance uma das suas obras mais aliciantes e significativas. 
Qual era a misteriosa missão que levava um terrestre a enfrentar tantos perigos na estranha terra de Sidar?
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .... ... ... ...

Rugidos ecoavam pelas rochas, revelando a presença de feras desconhecidas. 
- Isto bom - disse o guia -, isto muito bom!
Pulava já à beira dum precipício, designando qualquer coisa lá em baixo. Lorrain avançou de joelhos e debruçou-se.
Por baixo dele, o fundo do abismo parecia coberto de neve.
- Nevou?
- Não - respondeu o guia - , isto não ser neve, isto "Krofo".
- Krofo?
O indígena de patas de avestrurz arrancou da rocha uma pequena planta que libertava ao vento flocos penugentos.
- Sim, Krofo cmo isto... mas grande, muito grande!
Lançou-se num discurso confuso. Lorrain compreendeu que a tempestade acumulara enormes quantidades de celulose no fundo da ravina.
- Nós saltar! - concluíu o Sidariano, piscando o olho -, nós ganhar dois dias!
Lorrain estremeceu.
- Saltar desta altura?
- Sim, sim, sim. Não haver perigo. Krofo muito bom. Olha!
Lorrain levantou os olhos e viu um pedaço de Krofo cair, volteando lentamente para o solo, como um floco de neve de dimensões gigantescas.
- Tu ganhar dois dias - insistiu o guia.
- Eu ganhar eternidade - ironizou Lorrain.

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

A aventura de Lorrain em Sidar é uma aposta permanente entre o tudo e o nada. Essa constante suspensão, criada através de uma narrativa conduzida com rara habilidade, faz do presente romance de Stefan Wul uma bela obra de ficção-científica, um romance que o nosso público leitor vai apreciar com verdadeiro entusiasmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário