nº 130-A - Estação de Trânsito



Autor: Clifford D. Simak
Título original: Way Station
1ª Edição: 1964
Publicado na Colecção Argonauta em 1968
Capa: Infante do Carmo
Tradução: Gilberto de Freitas 

Súmula - não foi apresentada qualquer súmula deste livro no livro anterior, nº 130, intitulado O Império Submarino

Notas:

É um livro de que muito poucos ouviram falar e quase todos nem sabem que existe! Este livro saíu numa edição limitada face ao habitual e nem aparece nas listas oficiais. Há alfarrabistas que ouviram falar dele mas nunca o viram. É RARÍSSIMO e dificílimo de encontrar.

Algumas pessoas fazem confusão com este título, devido ao facto da mesma obra ter sido publicada na Colecção Vampiro em 1964, numa edição comemorativa dupla (tem O Caso da Vela Torcida de Stanley Gardner, do lado inverso) com o nº 200, o que origina a que muitas pessoas pensem que é o nº 200 da Colecção Argonauta. Não é, pois o nº 200 da Colecção Argonauta intitula-se As Máquinas da Destruição, escrito por Fred Saberhagen.

Repare-se também que, estranhamente, neste livro e contrariamente ao que sucede numa longa série de anteriores, quem concebe a capa e faz a tradução não são já Lima de Freitas e Eurico da Fonseca, que no número posterior retomam todavia a realização das mesmas. Os responsáveis foram os mesmos autores que participaram na edição dupla do nº200 da Colecção Vampiro.

Como me sugeriu o amigo Denis Cnegov, talvez a publicação deste número pela Argonauta quatro anos depois se tenha devido a terem ficado com alguns excedentes, que terão decidido aproveitar. Estranho é todavia que não tenham informado os leitores e procedido como costumavam fazer relativamente a todas as outras edições. É um mistério que talvez não seja nunca desvendado, dado o número de anos que já passaram. Mas é um "segredo" que enriquece ainda mais a Colecção, na minha opinião, já que é necessário ter alguma familiariedade com ela para descobrir o livro "escondido", do qual praticamente ninguém tem conhecimento.

Há ainda outro pormenor muito curioso! No final desta obra, nº130A, está uma breve súmula do livro  nº81 (O Signo do Cão)! - que foi apresentada também com uma súmula diferente, no nº80 (Cidadão do Universo)! Ora uma vez que O Signo do Cão também foi publicada pelos "Livros do Brasil" através da Colecção Argonauta em 1964, data em que se publicou a tal edição nº200 comemorativa em volume duplo da Vampiro, estes factos parecem realmente dar a entender que a Estação de Trânsito terá estado pelo menos na calha para ter sido publicada, eventualmente como o número 80, já que tem a súmula a apresentar o nº81. Por alguma razão, terá sido na altura decidido publicá-la antes no volume comemorativo da Colecção Vampiro. E quatro anos depois, decidiram finalmente publicá-la também na Argonauta, sem qualquer explicação. E dada a raridade desta edição, tudo leva a crer ter-se tratado de uma tiragem realmente muito reduzida.

Já agora para ficarem da posse de todos os elementos, deixo-vos com a tal súmula relativa ao nº81, apresentada no final do nº130A:

O Signo do Cão, de Jean Hougron, é, como Estação de Trânsito, de Clifford D. Simak, um apaixonante romance de ficção-científica mistério. Nas galáxias distantes havia um enigma a resolver e um homem que lhe procurava a solução. Como desvenda ele esse mistério aparentemente impenetrável, e o que descobre, é narrado por Jean Hougron com um talento imcomparável, que justifica o êxito deste livro, já traduzido em quatro línguas.
Jean Hougron é um nome a reter pelos apreciadores de ficção-científica. Jean Hougron é um escritor da estirpe de Cyrano de Bergerac, Balzac, Chapek (o nome correcto é "Capek"), Asimov, Bedbury (o editor referia-se obviamente a Bradbury), Heinlein e Simak.

Independentemente de toda esta problemática e mistério, a Estação de Trânsito e O Outro Lado do Tempo (nº 227), constituem para mim as obras mais bonitas que Clifford D. Simak escreveu. Tudo o que o caracteriza como autor está reunido nestas duas obras, da melhor maneira. Belíssimas obras! Fiquem também com o vídeo, onde falo um pouco sobre este tema:

35 comentários:

  1. Tal como JV sabe possuo um exemplar do 130 A.
    Posso adiantar no entanto que o nº 200 da Colecção Vampiro onde a dita obra de Simak foi publicada pela 1ª vez em Portugal data de 1964 (provavelmente Outubro ou Novembro) poucos meses depois da publicação original nos USA, na altura em que era publicado o nº 80 ou 81 da colecção Argonauta e que o célebre 130A é publicado em 1968 ao mesmo tempo que o nº 131 (Viajantes do Tempo também da autoria de Clifford D. Simak e que esse livro (130A)foi feito provavelmente com os restos da edição de 1964 que não foram usados (talvez tivessem impresso muito mais Estação de Transito que O Caso da Vela Torcida) o que justificava a raridade do dito livro.
    A verdade é que a Editora Livros do Brasil não diz o que se passou ou porque não quer ou porque ninguém sabe nada sobre o assunto.
    Com o tempo o livro tornou-se RARÍSSIMO...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, tenho a coleção Argonautas do Nº 1 ao 538 , incluindo o raríssimo 130A.

      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-649934419-coleco-argonauta-538-numeros-em-excelente-estado-nica-_JM

      Eliminar
    2. Tem uma belíssima coleção, única no Brasil e e quem sabe no mundo, Argonautas do Nº 1 ao 538 , incluindo o raríssimo 130A.

      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-649934419-coleco-argonauta-538-numeros-em-excelente-estado-nica-_JM

      Eliminar
  2. Esse é meu maior orgulho literário, além de ter lido este livro, o tenho, e o achei eu um sebo no RJ, em bom estado, por R$ 10,00. Acho eu que o dono não sabia a preciosidade que tinha nas mãos. Excelente livro, e o segundo melhor em minha opinião do autor. O melhor é o nº 117.

    ResponderEliminar
  3. Hoje mesmo, acabei de o perder num leilão no MIAU.pt (num lote com mais outros números) onde estava à venda por... 8,5 €
    Se tivesse visto uma hora mais cedo tinha licitado...
    Vitor Teixeira

    ResponderEliminar
  4. Vá lá, afinal a perda não foi tão grande. Era "apenas" o n.º 200 da Vampiro mas não esta raridade.
    Confesso que até ler este blog nem sabia da existência deste número
    Vitor Teixeira

    ResponderEliminar
  5. Clifford D. Simack é sem duvida um autor do meu agrado. Não me lembro da Estação de Trânsito mas recordo muito bem O Outro Lado do Tempo que é um dos meus preferidos. Este blog é um grande Estação de Serviço para todos os amantes do género Ficção Científica.

    ResponderEliminar
  6. Eish !!!
    "Estação de Transito"

    Eu não tive o 130-A, tive sim, o 200 da vampiro.
    Lembro-me que era miúdo (10, 11 anos) quando li pela primeira e única vez esse livro.
    Ficou-me na memória. Claro que a história já está esquecida (já se passaram cerca de 40 anos) , apenas me lembro que o protagonista desta história, vivia isolado, e era ssinante de umas revistas há muitos, muitos anos, o que ia provocando a desconfiança, não me lembro de do carteiro se dos editores dos jornais ou revistas que era assinante.
    Adorava voltar a ler este livro, mas infelizmente o que tinha simplesmente desapareceu e não consigo encontrar outro exemplar.
    Parabéns por essa coleção.

    ResponderEliminar
  7. Parece que vou reler este livro.
    Não, não encontrei o 130-a mas sim 0 200 da Vampiro.
    Mas isto de compras online só se sabe se funciona quando recebemos o material comprado.
    No entanto, pareço um menino à espera do presente de natal.

    ResponderEliminar
  8. São de facto duas das mais belas obras que li de Clifford D. Simack, um grande escritor! Parabens por este blog.

    ResponderEliminar
  9. Olá tenho uma edição a mais desse livro para vender, comprei uma há alguns anos e recentemente um amigo de um ammigo que mora em Portugal me trouxe outro exemplar. Caso alguem tenha interesse, é só falar.

    Carlito Pilar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Carlito,

      Existe uma pessoa interessada nesse 130-A, que me pediu para o avisar. Disponibilize por favor um endereço de email para onde ele possa escrever, ok?

      Grato.

      Eliminar
    2. Caro Carlito

      Se possui o 130 A e está interessado em vender contacte-me
      964416040

      Eliminar
  10. Olá a todos, deixo aqui meu email/msn para possiveis duvidas e informações: carlitopilar@hotmail.com

    Grato.

    Ps: Bela coleção do dono do blog, todas as fotos são de sua coleção?
    Cheguei a ter uns 250 exemplares da coleção, mas agora só tenho os meus preferidos, se tivesse completa como a sua nunca teria me desfeito da minha. Parabens.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Carlito!

      Sim, todas as fotos são da minha colecção pessoal. Demorou "só" 30 anos a fazer! :)

      Abraço,

      João Vagos

      Eliminar
  11. porcuro efectivamente o 130 A estacao de transito da rua argonauta ainda tem disponivel ?

    Se tiver agradeco resposta para carlosreal1965@hotmail.com

    ResponderEliminar
  12. Caro Carlos Real, eu tenho a colecção toda, mas não está para venda... o objectivo do blog é a partilha de conhecimento relativo à colecção, e não a compra ou venda.

    Sugiro que tente os alfarrabistas, incluindo lojas brasileiras online. Mas é realmente um número muito difícil de encontrar, a maior parte das pessoas nem sabe que existe.

    Grato.

    ResponderEliminar
  13. Não sei se alguém aqui poderia me ajudar, talvez, o dono deste blog. Você, João Vargas! :)

    É o seguinte: li a muito tempo uma história deste escritor (meu preferido), que narrava a saga de um um personagem extraterreno que se transformava em 3 entidades que tinham nomes e formas específicas. Uma das formas era uma pirâmide se não me engano, nem me lembro mais; a outra parecia um cão... Cada forma tinha as suas especialidades.
    Alguém se lembra?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outra coisa, horrível esse negócio de 'palavras de verificação".
      Melhor seria moderar os comentários.
      Abraços!

      Eliminar
  14. Olá novamente, Sylvio :)

    Quanto às palavras de verificação, penso que têm um carácter preventivo, para evitar aplicações maliciosas que encham este espaço de publicidade, ou comentários menos próprios, embora eu também possa apagar, se quiser. A verificação é realmente aborrecida... mas também não leva assim tanto tempo a fazer! :)

    Quanto à questão que tinha colocado e que diz respeito a qual seria o livro de Clifford Simak onde podemos conhecer uma personagem que era composta por 3 entidades diferentes, só me lembro da obra "The Werewolf Principle", na língua original, publicada na Colecção Argonauta em 2 volumes:

    http://coleccaoargonauta.blogspot.pt/2011/09/n-141-terra-insolita-1.html

    http://coleccaoargonauta.blogspot.pt/2011/09/n-142-terra-insolita-2.html

    Se for esta obra depois por favor confirme, fiquei curioso.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimos João e Sylvio,


      Confirmo totalmente a informação de que a obra de Clifford D. Simak "Terra Insólita" (em dois vol.) é DE FACTO o livro que o Sylvio refere.

      Tenho esse livro perfeitamente vincado na memória, e os dois volumes nas minhas estantes com a Colecção Argonauta quase completa...

      Um abraço aos dois!
      Armando

      Eliminar
  15. O que faço agora, João, é moderar.
    Toda postagem vai direto para meu mail, aí vejo o que faço.

    Não creio seja esta história a que me referi... Acho muito engraçado que eu tenha na mente, depois de 30 anos, uma parte de uma história que li. é que esses escritores conseguem mexer com uma parte de nós que, mesmo sem sabermos viaja pelo Universo: nossa alma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que se refere ao nº156, do A.E.Van Vogt, os silkies
      mudavam de forma e na história a personagem piramide invertida,
      era fulcral. Neves

      Eliminar
  16. Meus caros
    Penso que posso esclarecer a questão da numeração do volume e o porquê de figurar no final a apresentação do SIGNO DO CÃO, n.º 81 da colecção.
    Num catálogo contemporâneo da Editora Livros do Brasil, a ESTAÇÃO DE TRÂNSITO figurava na lista com o número 80-A.
    Na altura cheguei à conclusão de que a saída do n.º 200 da Vampiro coincidia aproximadamente com a do n.º 80 da Argonauta. Os editores devem ter considerado fazer a edição nessa altura e devem ter preparado tudo para uma edição separada, incluindo a apresentação do número seguinte.
    Numca consegui entender foi a lógica da coisa: porque não atribuir desde logo um número próprio ao livro?.
    De qualquer modo é o único que eu não tenho...
    Abraço
    Augusto Mouta

    ResponderEliminar
  17. Comprei hoje a Estação de Trânsito em um sebo do Rio de Janeiro junto com mais 24 edições diferentes da Coleção Argonauta por... 2 reais cada. Nem tinha me dado conta de que ela estava no meio de todas até começar a folhear os livros à noite!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ena, muitos parabéns pela compra! Foi mesmo um achado!

      Depois diga-nos se gostou da "Estação de Trânsito"! Para quem gosta de Simak, esse livro é um dos melhores, na minha opinião!

      Eliminar
  18. Eu tenho a mesma dúvida do Anónimo logo aí acima... Alguém sabe a razão do "-A"? Ainda que seja uma edição dupla com outra coleção, por que não "131"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, e a quem interessar possa (caso vejam isso a tempo), fiquei curioso com a raridade dela e fui pesquisar. Há uma a venda num tal de CustoJusto, e (aparentemente) duas disponíveis na AbeBooks. Abs!

      Eliminar
  19. Hoje foi um dia especial para mim. Em meu 1° dia de férias, passeando pelas ruas de minha cidade, encontrei e comprei essa rara edição 130-A.

    Está em perfeito estado de conservação . . . e paguei somente R$5,00, equivalente a 1,56 Euros (Hoje - 01/12/14).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitos parabéns pela compra, Marcelo! :) E foi um óptimo negócio!

      É sem dúvida uma das grandes obras de Clifford D. Simak (para mim a melhor dele, juntamente com "O Outro Lado do Tempo" (http://coleccaoargonauta.blogspot.pt/2011/09/n-227-o-outro-lado-do-tempo.html).

      A "Estação de Trânsito" é um daqueles livros mágicos, cuja memória nos acompanha a vida toda. E essa edição, é mesmo rara!

      Abraço.

      Eliminar
  20. Agora que completei a Argonauta, com o 130-A colocado no lugar, graças à ajuda prestimosa do amigo J.P.Santos, não quero deixar passar este acontecimento sem elogiar publicamente este blog, decerto um dos factores que me incentivou a retomar e terminar esta coleção.
    Caro João, muito obrigado pelo trabalho desenvolve.
    Um grande abraço, extensivo aos restantes colecionadores da Argonauta e FC em geral

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro António, também lhe quero agradecer a simpatia, interesse e amizade que sempre tem demonstrado. E reitero os meus parabéns por ter conseguido o raríssimo 130-A e assim ter terminado a colecção Argonauta.
      Espero sinceramente que o seu exemplo de entusiasmo e perseverança inspire outro coleccionadores a tentarem terminar igualmente a Argonauta.
      Um grande abraço também para si.

      Eliminar
  21. Boa Tarde.
    Adoro a Colecção Argonauta e quero aqui deixar os parabéns ao criador deste blog, que está espectacular.
    A mim, falta-me o célebre número 130 - A.
    Em Portugal ainda não o consegui localizar.
    No Brasil, sim. O problema é que nos dois sites que localizei, um não vende para o exterior (?!?!) e outro pede para pagar primeiro e depois enviam, não aceitando remessa à cobrança.
    Será que alguém me consegue ajudar?
    Meu mail: mcastrosilva@live.com.pt
    Telemóvel: 916933705
    Obrigado
    Castro Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Castro Silva,
      Muito obrigado pelas simpáticas palavras.
      Desejo-lhe boa sorte na caça do mítico 130-A!

      Eliminar