nº 293 - O Outro Lado do Mundo



Autor: Ursula Le Guin
Título original: The Farthest Shore
1ª Edição: 1972
Publicado na Colecção Argonauta em 1981
Capa: A. Pedro
Tradução: Eurico da Fonseca 

Súmula - Foi apresentada no livro nº292 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta": 

The Farthest Shore (O Outro Lado do Mundo), na versão portuguesa, é o último volume da trilogia de Earthsea (Terramar), que tornou célebre Ursula Kroeber Le Guin. Tal como O Feiticeiro de Terramar (nº276 da Colecção Argonauta) e Os Túmulos de Atuan (nº284 da mesma colecção), é uma história estranha, que muitos considerarão mais próxima da magia ou da fantasia que da ficção-científica, mas que resulta imprescindível para a compreensão das obras posteriores de Le Guin. O mundo de Terramar - um arquipélago perdido - ressurge com toda a sua maravilha e todos os seus enigmas, com a sua civilização em que alguns vislumbram uma ideia da legendária Atlântida, de uma Atlântida em que a tecnologia teria sido substituída pela feitiçaria, enquanto outros a olham antes como uma recriação da não menos lendária Islandia, dos tempos de São Brandão e das suas não menos lendárias viagens. Seja como for, a verdade é que o estilo inimitável de Le Guin concede à narrativa um tom de realidade que nos leva a pensar que, no fim, Terramar não é a Atlântida, nem as Ilhas de São Brandão, mas sim algo de muito verdadeiro e de muito actual, num mundo muito distante, à luz de outro Sol, e sob outras leis da Natureza... 

Introdução:

O Outro Lado do Mundo (The Farthest Shore) é o último volume da Trilogia de Terramar (Earthsea Trilogy), de Ursula K. Le Guin, iniciada com O Feiticeiro de Terramar e com Os Túmulos de Atuan (nº276 e nº 284 da Colecção Argonauta). 
Do valor de tais obras, bastará dizer que a primeira obteve o prémio literário Horn por excelência (Horn Book Award for Excelence); enquanto Os Túmulos de Atuan obtiveram o Newberry Award e O Outro Lado do Mundo recebeu o National Book Award de 1973.
Na verdade, não se trata apenas de um tema, talvez mais perto da fantasia que da ficção realmente científica, mas mesmo assim sugestivo - Terramar será de facto um mundo de fantasia, um mundo inspirado na velha Irlanda e nas lendas de São Brandão, como alguns querem, ou um mundo paralelo, ou ainda um mundo girando em torno de outra estrela? Isso é belo, mas há mais do que isso: Ursula K. Le Guin tem um estilo inimitável, o mais belo estilo entre todos os autores modernos de fantasia e ficção - e não falta quem diga: o mais belo ou pelo menos um dos mais belos estilos em qualquer tipo de literatura.

Nota: o encerrar da trilogia sobre Ged. Posteriormente, a Ursula Le Guin viria a revisitar o mundo que criou em mais dois volumes, que todavia não chegaram a ser publicados na Colecção Argonauta. Mas durante muitos anos, esta trilogia manteve-se intocável. Não li os livros posteriores, mas considero esta trilogia das melhores obras que existem na Colecção Argonauta.

Sem comentários:

Publicar um comentário