nº 150 - Sonho Mortal



Autor: E.C. Tubb

Título original: Death is a Dream
1ª Edição: 1967
Publicado na Colecção Argonauta em 1969
Capa: Lima de Freitas
Tradução: Eurico da Fonseca

Súmula - foi apresentada no livro nº149 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta": 

E. C. Tubb regressa com este romance à nossa Colecção Argonauta, justificando a sua excepcional projecção no sector da ficção-científica. Muitos leitores que apreciam este difícil género literário se nos dirigiram, perguntando "o que era feito de E.C. Tubb".A sua pergunta denotava uma preferência que, aliás, correspondia aos nossos desejos de editores e logo procurámos dar resposta ao desejo formulado. Mediante esta colaboração viva entre o leitor e o editor, o nome de E.C. Tubb volta a figurar na Colecção Argonauta, depois de largos meses de ausência.
Sonho Mortal é um dos romances mais extraordinários deste invulgar escritor britânico. Não se poderia, talvez, escolher melhor, para um reaparecimento. Os nossos leitores vão tornar a contactar com este romancista de excepção. 

Introdução:
Para muitos leitores ingleses e para alguns americanos, como Bradbury e Simak, as iniciais S.F. não designam já a tradicional Science Fiction, mas sim algo de novo e muito mais profundo: a Speculative Fiction.
A ficção especulativa não é um subgénero literário: é um movimento tendente a dilatar os horizontes da literatura clássica, levando-a a uma maior liberdade no espaço, no tempo e na forma. A presente obra - de um dos mais consagrados autores britânicos - é um exemplo dessa tendência.
Os progressos científicos nela descritos, fazem já parte do nosso mundo. E.C. Tubb não se detém na descrição de descobertas maravilhosas. Expõe apenas o que poderá resultar da evolução dos costumes humanos, dentro de alguns séculos. Uma evolução que se traduz por inversões de valores, por concepções morais e éticas totalmente diferentes daquelas que hoje defendemos e que no entanto se apresentam como terrivelmente lógicas.
Sonho Mortal é mais do que uma obra para ler. É uma obra para meditar.
Muito profundamente.

Colecção Argonauta, do nº 101 ao nº 150

Sem comentários:

Publicar um comentário