nº 259 - Triplanetária



Autor: E.E."Doc" Smith
Título original: Triplanetary
1ª Edição: 1934
Publicado na Colecção Argonauta em 1979
Capa: A. Pedro
Tradução: Eurico da Fonseca 

Súmula - Foi apresentada no livro nº258 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":

Edward Elmer Smith nasceu em 2 de Maio de 1890 no Wisconsin e morreu em 31 de Agosto de 1965, dois anos depois de ter sido aclamado na Convenção Mundial dos Amadores de Ficção-Científica, em Washington., pelo conjunto da sua obra sem igual. Doutor em engenharia química, de onde lhe veio o apodo afectuoso de "Doc", trabalhava em Washington onde, em 1915, começou a escrever a sua primeira obra: The Skylark of Space, em que narrava a história do químico Richard Seaton, descobridor do metal X, e do seu amigo multimilionário, Reynolds Crane, para quem ele construíra o primeiro veículo interstelar. Um camarada de laboratório de Seaton, o Dr. Du Quesne, homem de grande saber, mas de baixa moral, tenta então roubar a nave e rapta a noiva de Seaton, que, na companhia de Crane, o persegue noutra nave. Mas os dois amigos perdem-se no espaço, são arrastados para muito longe, e vão descer num planeta onde são acolhidos por humanóides. O que se passa em seguida, tem muito a ver com space-opera, mas The Skylark of Space foi uma das obras de ficção-científica que maior interesse despertou, em todos os tempos, dando origem a uma série de que fizeram parte Skylark Three, Skylark of Valeron e Skylark Du Quesne, esta última publicada em 1965, semanas antes da morte do autor.
Em 1933, na revista Astounding Science Fiction, começou a ser publicada uma outra série de E.E. "Doc" Smith não menos famosa: a dos "lensmen", portadores da jóia de Arísia, uma arma fabulosa que permite aos terrenos tomar parte activa na luta que, desde o princípio dos tempos, opõe Arísia a Eddore. Nessa série, iniciada com Triplanetary e seguida por First Lensman, Galactic Patrol, Gray Lensman, Second Stage Lensman, Children of the Lens e Masters of the Wortex, "Doc" Smith alcançaria os seus pontos mais altos. Space-Opera, sem dúvida, mas da melhor que alguma vez se escreveu, tão boa, no aspecto dramático, como a de Edgar Rice Burroughs, mas com uma vantagem inestimável: sendo um homem de ciência, "Doc" Smith tratava os seus temas com todo o rigor científico possível, o que não poucas vezes, o levou a dar provas de uma intuição incrível; foi ele, em Skylark Three, quem pela primeira vez expôs a ideia de que o intervalo entre as partículas materiais, o chamado "espaço métrico", ou "vácuo polarizado" - (outrora "éter"), contém imensas quantidades de energia, superiores à própria energia nuclear. Essa ideia foi depois explorada por sábios tão célebres como Louis de Broglie e David Bohm. Outras ideias incrivelmente prescientes foram a de que as colisões de estrelas podiam ser origem de ondas de rádio, as prtículas de massa imaginária, o universo de sombra (recordando os hoje conhecidos "buracos negros"), e a neutralização da inércia.
Quando, em Setembro de 1963, a Convenção Mundial de Washington concedeu a E.E. "Doc" Smith a honra de ser o primeiro autor de ficção-científica a ser escolhido para o "hall-of-fame", John W. Campbell, outro grande nome da FC, afirmou: "Edward Elmer Smith foi quem deu à ficção-científica a sua última grande penetração; ainda esperamos que outro autor seja capaz de fazer o mesmo". 

Introdução:

(A introdução apresentada é a transcrição completa da súmula). 

1 comentário:

  1. O 1º Livro que li desta colecção. Tinha na altura 12 ou 13 anos. Nunca mais parei de coleccionar desde essa altura, nem de ler, hehehe... Pena ser cada vez mais difícil e caro ir adicionando volumes

    ResponderEliminar