nº 417 - Cemitério de Lunáticos



Autor: Ray Bradbury
Título original: Graveyard for Lunatics
1ª Edição: 1990
Publicado na Colecção Argonauta em 1992
Capa: A. Pedro
Tradução: António Porto

Súmula - Foi apresentada no livro nº416 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":
Uma obra de Ray Bradbury é sempre um acontecimento.
O seu Cemitério de Lunáticos é a Hollywood da década de 50, olhando para Janus tanto para o passado como para o futuro.
O seu herói (que o não é) é um argumentista e um adorador de estrelas.
Em 1954, na Noite das Bruxas, uma mensagem anónima convida-o a ir ao Cemitério de Green Glades, onde irá encontrar "uma grande revelação."
A revelação é um cadáver, ou antes, uma reprodução perfeita de J.C. Arbuthor, o antigo e poderoso senhor do grande e glorioso estúdio Maximus Films, que morreu vinte anos antes. Ou não? 
O leitor, o herói e o seu amigo Roy Holdstrom, inventor de cenários e artifícios para os filmes de ficção-científica, lança-se numa viagem pelo passado e pela verdade.
Mas qual verdade? 

Sem comentários:

Publicar um comentário