nº 275 - Heróis Galácticos



Autor: E.E. "Doc" Smith
Título original: Gray Lensmen
1ª Edição: 1951
Publicado na Colecção Argonauta em 1980
Capa: A. Pedro
Tradução: Eurico da Fonseca 

Súmula - Foi apresentada no livro nº274 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":
Entre as listas das dez melhores obras de ficção-científica, em todos os tempos, é usual encontrar-se Gray Lensmen, de E.E. "Doc" Smith - a quarta obra da célebre série Lensmen, da qual já foram publicadas na Colecção Argonauta os volumes Triplanetária (nº259), O Planeta Secreto (nº265) e Patrulha Galáctica (nº270).
Gray Lensmen - que na versão portuguesa recebeu o título de Heróis Galácticos - é o volume seguinte. Publicado pela primeira vez na revista Astounding, nos meses de Outubro, Novembro e Dezembro de 1939, foi desde logo considerada pelos leitores como a melhor obra de Edward Elmer Smith. Tal como os outros da série Lensman, poderá dizer-se que se trata de "space-opera" autêntica, temperada todavia com a surpreendente capacidade de previsão científica do autor, mesmo quanto às suas ideias aparentemente meio fantásticas.  
Introdução
Gray Lensmen - na versão portuguesa Heróis Galácticos - é o quarto volume da célebre série Lensmen, de E.E. "Doc" Smith. Os volumes anteriores foram publicados na Colecção Argonauta com os títulos Triplanetária (nº259), O Planeta Secreto (nº265) e Patrulha Galáctica (nº270).
De Gray Lensmen, basta dizer-se que foi considerada uma das dez melhores obras de ficção-científica de todos os tempos, no inquérito realizado em 1947 pela fanzine (revista de amadores) Sun Spots e cujos resultados foram publicados quando da Convenção de Filadélfia em Setembro daquele ano. Outras obras que fizeram parte dessa lista foram Sian, de Van Vogt; The Outsider, de Lovecraft; The Moon Pool, de Merrit; A Máquina do Tempo, de Wells; A Martian Odyssey, de Weimbaum; Os Filhos de Matusalém; de Heinlein; Mimsy were the Borogoves, de Kuttner; Twilight, de Campbell, e Last Darkness Fall, de Sprague de Camp. Já em 1940, ano da sua publicação, os leitores da revista Astounding Science Fiction a tinham considerado como a melhor obra publicada nas respectivas páginas. 

Sem comentários:

Publicar um comentário