nº 243 - A História do Futuro I



Autor: Robert A. Heinlein
Título original: Time Enough for Love
1ª Edição: 1973
Publicado na Colecção Argonauta em 1977
Capa: Manuel Dias
Tradução: Eurico da Fonseca

Súmula - Foi apresentada no livro nº242 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":

Robert A. Heinlein mostrou-se sempre fascinado pela possibilidade de vir a escrever a História do Futuro. Para isso, estabeleceu um plano de obras - novelas, contos e  "histórias não escritas" - descrito em pormenor na sua introdução à Revolta em 2100 (nº132 da Colecção Argonauta) E, mais tarde, em Os Filhos de Matusalém (nº137), recorreu a um processo indirecto de relato dessa história, contando a vida de Lazarus Long e dos seus companheiros quase imortais, testemunhas da evolução da sociedade humana - da sua ascensão e da sua decadência, dos seus momentos de glória e dos seus momentos de miséria.
Historiar o futuro é não só uma operação de imaginação, como também de fidelidade a um processo de verosimilhança que, uma vez estabelecido, tanto pode funcionar, em rigor, de trás para diante, como de diante para trás. Mas nada se passa, nas mãos de um escritor dotado e inteligente, de maneira tão mecânicamente infalível. Por mais previsível que seja, o comportamento humano - e não há história sem a "figuração" do humano! - não pode deixar de conter o "desenquadramento", a imprevisibilidade que caracterizam, afinal, o existir da  pessoa, projecte-se ele do passado, projecte-se ele do futuro. Interrogar a esfinge - mito e computador - é, no fundo, prolongar até aos limites do imaginável, do inimaginável as potencialidades contidas naquilo que, na tragédia clássica, se chamou de destino. Não mais manifestações das "forças obscuras", o destino será, agora, dentro da fatalidade biológica a cujos parâmetros parece não se poder fugir, construção por obra e graça do livre arbítrio. Admitamos, pois, o futuro como o fluxo de uma realidade que constantemente nos atravessa do facto que se avizinha à memória que se armazena - e os nossos fantasmas serão apenas aquela parte de nós que se recusa à dissolução ou, no pior dos casos, à evolução.
Agora em Time Enough for Love, obra que na nossa língua recebeu o título de A História do Futuro, Robert A. Heinlein vai além de tudo quanto antes escreveu. É de facto a história dos homens - vista através dos olhos de Lazarus Long retrospectivamente, desde o ano 4272 até à Primeira Guerra Mundial. Uma história feita não de acontecimentos, mas sim de emoções, de relações humanas, do amor entre os sexos - amor novo num mundo novo, sem complexos.
Time Enough for Love - (A História do Futuro), é a obra de ficção-científica até hoje mais traduzida (em francês, alemão, italiano, japonês, sueco, finlandês e português). Por razões técnicas - é a mais extensa obra de Heinlein até hoje publicada - será dividida em três volumes.

Nota: continua a saga de Lazarus Long, iniciada com Os Filhos de Matusalém (nº 137), um conjunto de obras de Robert A. Heilein de grande profundidade e extremo interesse. Lêem-se extraordinariamente bem e foram para mim todas elas uma grande companhia, durante muito tempo.

Sem comentários:

Publicar um comentário