nº 344 - A Máquina da Paz


Autor: Bob Shaw
Título original: The Peace Machine
1ª Edição: 1985
Publicado na Colecção Argonauta em 1986
Capa: A. Pedro
Tradução: Eurico da Fonseca

Súmula - Foi apresentada no livro nº343 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":
Os homens, por muito que afirmem defender a Paz, nunca souberam realizá-la. Será, portanto, a Paz algo que está para além das forças humanas? Sendo assim, porque não confiar a uma máquina a imposição da Paz? Com a Máquina da Paz, a guerra - o holocausto nuclear - será impossível.
Em 1988, um cientista obscuro, Lucas Hutchman, faz uma descoberta extremamente importante: é possível construir um ressonador de neutrões, capaz de detonar todas as cargas nucleares existentes no Globo. E o mundo está à beira do suicídio nuclear - um grupo de terroristas destruiu Damasco com uma bomba atómica.
A tentação é irresistível: Hutchman constrói a máquina, envia planos aos cientistas e políticos de primeiro plano e marca-lhes um prazo para o desmantelamento das suas armas. Então o Mundo poderá respirar.
Mas as forças contra as quais pretende lutar são demasiado fortes. Hutchman não está preparado para enfrentar o mundo dos agentes secretos, da espionagem, dos raptos e dos assassínios. Tem de se manter oculto durante o tempo bastante para realizar o seu plano.
E se o realizar - se conseguir com a sua máquina obrigar os políticos e os militares a desmantelarem as armas nucleares - isso permitirá alcançar a paz?
Eis o tema actualissimo de A Máquina da Paz - (The Peace Machine), uma das obras mais recentes e de maior sucesso de Bob Shaw - um autor consagrado e largamente representado na Colecção Argonauta.  
Introdução:
Tempos houve em que a ficção científica era considerada como literatura de evasão e ainda hoje são muitos que a vêem como tal.
A verdade, todavia, é que a ficção-científica tende a afirmar-se como uma literatura de reflexão. O que se compreende num tempo que é de ciência. E de interrogações sobre a ciência.
A Máquina da Paz, de Bob Shaw - um autor cujas obras são sempre motivo de reflexão -, é um excelente exemplo dessa tendência. Não se poderia esperar um tema mais actual e mais controverso.
Se um homem qualquer, sozinho, descobrisse uma maneira de evitar o holocausto nuclear, inutilizando todas as armas atómicas, os grandes poderes do Mundo ficar-lhe-iam gratos? O pesadelo acabaria?

Sem comentários:

Enviar um comentário