nº 457 - Outros Dias, Outros Olhos



Autor: Bob Shaw
Título original: Other Days, Other Eyes
1ª Edição: 1972
Publicado na Colecção Argonauta em 1995
Capa: A. Pedro
Tradução: Clarisse Tavares

Súmula - Foi apresentada no livro nº456 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":

Bob Shaw, um dos mais prolíficos e respeitados autores britânicos de ficção-científica, é já bem conhecido dos leitores desta colecção, bastando recordar, por exemplo, Os Balonautas (nº408 e nº409), As Naves de Madeira (nº439 e nº440), Os Mundos Fugitivos (nº447 e nº448) e A Era das Aves 8nº454).
Agora, em Outros Dias, Outros Olhos, surge Alban Garrod, cientista e detective-amador, que cria um novo tipo de vidro - slow-glass (vidro lento), que grava e armazena os acontecimentos vistos através dele, podendo revelá-los meses ou anos mais tarde. 
O vidro lento proporciona a Alban fama, riqueza, problemas com a sua vida amorosa e perigo, muito perigo, quando o Governo, como um super Grande Irmão, pretende usar micro-captores para espiar todos os aspectos da vida dos cidadãos. 
A história de Alban Garrod inicia-se com ele ao volante de um potente Turbo-Lincoln:

A princípio, o outro carro não passava de um minúsculo ponto vermelho de sangue ao fundo da auto-estrada, mas mesmo a grande distância - e apesar do clarão provocado pela íris em forma de buraco da fechadura do seu olho esquerdo - Garrod conseguiu identificar o ano e o modelo. Era um Stilleto de 1982. Levado por uma apreensão ilógica, levantou um pouco o pé do acelerador, reduzindo a velocidade de 150 km/h a que tinha vindo a conduzir, em média. Apesar da moderação do movimento, a turbina emitiu um gemido de desapontamento mecânico.
- O que sucedeu?
A sua mulher tinha ficado previsível e instantaneamente alerta. 
- Nada.
- Mas por que motivo abrandaste?
Esther gostava de controlar todas as suas propriedades, categoria em que incluía o marido, e o seu chapéu de aba larga rigidamente envernizada fez alguns movimentos de investigação, como a antena parabólica de um radar.  

Sem comentários:

Publicar um comentário