nº 454 - A Era das Aves



Autor: James Blish
Título original: Midsummer Century
1ª Edição: 1972
Publicado na Colecção Argonauta em 1995
Capa: A. Pedro
Tradução: António Porto 

Súmula - Foi apresentada no livro nº453 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":

James Blish é um autor de escol - cada uma das suas obras é um clássico e esse é o caso de A Era das Aves, a versão portuguesa de Midsummer Century.
No ano 20.000, a Terra está numa fase tropical. Os seus habitantes vivem em tribos e tornaram-se atávicos ritualistas obcecados com a vida depois da morte, procurando esta como uma forma de libertação, pelo que não se defendem dos seus maiores inimigos, as aves, que evoluíram até se tornarem em seres conscientes e perigosos, cujo principal objectivo é o extermínio do homem - um objectivo que não está muito distante. 
É neste mundo perturbado que surge John Martels, um cientista do século XX projectado no tempo por um estranho acidente.
Depressa, porém, se apercebe de que necessita de todos os seus conhecimentos para conseguir sobreviver naquele novo e tão estranho ambiente.
Mas a descoberta mais aterradora surge quando John Martels tenta desesperadamente aliar a Humanidade contra as Aves e deixa aberto o caminho para a sua destruição. 
A Era das Aves contém todas as característica literárias de James Blish: inteligência, imaginação e um final verdadeiramente inesperado.

Nota:

Sinto-me em dívida para com Rowland Bowen e o Dr. John Clark, ambos de origem inglesa, por substanciais elementos das minhas hipóteses acerca da PES (percepção extra-sensorial) natural e da experiência mística, respectivamente. Em ambos os casos, limitei-me pura e simplesmente, a servir-me daquilo que me pareceu útil para o desenvolvimento dos meus próprios conceitos e da minha história, sem procurar ser rigoroso quanto a isso. As respectivas teorias continuam a ser propriedade intelectual deles e aguardam que lhes dêem a sua divulgação pessoal. Estou grato aos dois pela autorização para simplificar o seu trabalho, transformando-o em ficção.

Harpsden (Henley)
Oxon, Inglaterra - 1971                                                                                                 James Blish 

Sem comentários:

Publicar um comentário