nº 319 - Expulsos da Terra



Autor: Ursula K. Le Guin
Título original: The Eye of the Heron
1ª Edição: 1978
Publicado na Colecção Argonauta em 1984
Capa: A. Pedro
Tradução: Eurico da Fonseca 

Súmula - Foi apresentada no livro nº318 da Colecção, com a indicação de "Ler nas páginas seguintes a súmula do próximo volume da Colecção Argonauta":

Expulsos da Terra é a versão portuguesa de The Eye of the Heron, uma das obras mais recentes de Ursula K. Le Guin. É a história de duas comunidades degredadas das Terra, que vivem noutro planeta. De um lado, os violentos e exploradores habitantes da Cidade. Do outro, os herdeiros de um movimento pacifista iniciado séculos antes na Terra, não violentos por natureza, amontoados no Bairro da Lata, na fronteira do desconhecido.
Luz, uma jovem da Cidade, não aceita os privilégios e a segurança que a sua existência de prisioneira ali lhe daria e cria uma nova identidade entre a liberdade, o companheirismo e o amor - e o duro trabalho físico - que caracteriza a vida entre os Lateiros. Por fim, dirige-se a uma expedição destas às Terras Selvagens, para fundar uma nova colónia e construir ali uma vida nova e independente.
Eis uma passagem de Expulsos da Terra

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

A jovem Luz, estranha, a auto-exilada: a sua presença entre os Lateiros aguçava aquela sensação de perfeita comunidade pelo contraste, e moldava-a com a compaixão. Sabiam porque ela viera e tentavam ser bondosos para ela.
Estava sózinha entre eles, assustada e desconfiada, agarrando-se ao seu orgulho e à sua arrogância de filhinha-do-Chefe sempre que não compreendia. Mas Lev pensava que ela compreendia, ainda que as suas razões a pudessem confundir; compreendia com o coração porque ela viera até eles, confiante.
Quando lhe disse isso, quando lhe disse que ela era e fora sempre, em espírito, um deles, um dos da Gente da Paz, ela adoptou o seu olhar de desdém e disse: - Nem sequer sei quais são essas vossas ideias. Mas na verdade, aprendera muito com Vera, e durante aqueles estranhos, tensos e inactivos dias passados a aguardar uma palavra ou um ataque da Cidade, Lev falara com ela tantas vezes quantas pudera, ansiando por a integrar tanto quanto possível entre eles, no centro onde havia tanta paz e força e onde ninguém estava só.

 ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...  

Introdução:

O tema da presente obra de Ursula K. Le Guin - uma das mais recentes - é ao mesmo tempo muito simples e muito profundo.
A não violência poderá ser uma resposta à violência? Até que ponto?

Sem comentários:

Publicar um comentário